Foco na experiência: entenda porque ficar em hostel é mais barato e evite frustrações

Quanto mais informação você tiver, maiores são as chances de você ter uma experiência inesquecível

Com o dólar em alta, o turismo interno é a opção de quem não abre mão de viajar mesmo em tempos de incertezas econômicas. A busca por preços mais acessíveis está fazendo com que muitos turistas nacionais superem o receio, muitas vezes criado por ideias distorcidas sobre o que é um hostel, de experimentarem esse estilo de hospedagem. Isso ajuda a cultura ‘hosteleira’ a se disseminar no país, mas se você está só procurando “um hotelzinho barato para ficar” é bem possível que você terá suas expectativas frustradas. Agora, se é experiência que você quer, prepare-se pois pode ser inesquecível.

Para conseguirem trabalhar com uma diária bem competitiva, se comparada aos meios tradicionais de hospedagem, os hostels precisam deixar sua operação enxuta e isso influencia diretamente nos serviços oferecidos. Costumo dizer que, além dos espaços e culturas, as responsabilidades e tarefas dentro de um hostel também são compartilhadas entre os hóspedes. 

Vou listar aqui alguns pontos que você precisa entender antes de reservar sua cama em um quarto compartilhado. Alinhando expectativa com realidade evitamos que, por não entender as peculiaridades dessa experiência, você saia achando que hostel não é pra você.

Em quarto compartilhado não rola ar-condicionado 24 horas. Lide com isso!

O ar-condicionado, assim como na sua casa, é um dos grandes vilões da conta de energia. Só isso já bastaria para que a maioria entendesse que não seria possível cobrar um valor acessível, mesmo em um dormitório com várias camas, se o equipamento ficasse ligado o dia todo. Sem falar na logística! Pois é quase humanamente impossível garantir que portas e janelas fiquem fechadas o tempo todo para não haver desperdício.

Nem seria muito aconselhável, né? Afinal é necessário que entre a luz do dia e um ar fresco para o bem de todos e para evitar cheirinhos inconvenientes, sejamos honestos aqui. Cada hostel tem sua política em relação ao ar, mas normalmente eles são ligados às 22h e desligados às 10h, garantindo sua noite de sono.

Levar ou não toalha de banho e cobertor?

A toalha de banho e o cobertor são itens cobrados a parte nas reservas para quartos compartilhados, na maioria dos hostels no Brasil e pelo mundo. O motivo é bem simples: o custo da lavagem teria que ser embutido na reserva. A maioria dispõe de toalhas e cobertores para aluguel. Os valores não são altos e isso te dá liberdade de escolher se carrega de casa ou não. O kit de roupa de cama que será disponibilizado na sua reserva normalmente conta com o lençol para cobrir a cama, um lençol para se cobrir e a fronha.

Como isso não é regra ou padrão seguido por todos, vale sempre a pena perguntar o que eles oferecem e quanto cobram pelo aluguel dos itens, assim você pode escolher se leva de casa ou não, dependendo do seu planejamento financeiro.

Nem sempre ter o Café da Manhã incluso na diária é um bom negócio

É comum que nas suas pesquisas você procure o menor preço com o café da manhã incluído, certo? Porém, dependendo do seu estilo de viagem e do destino, pode ser que você não acorde a tempo de tomar o café e tenha que apelar para uma padaria próxima, pagando duas vezes pela mesma refeição. Não tinha pensado nisso, né!? 

Como muitos hostels têm uma cozinha compartilhada disponível para os hóspedes, se sua intenção é enxugar os custos, que tal optar por uma diária mais barata e preparar seu próprio café? A equipe do hostel com certeza te dará dicas de mercados baratinhos para você fazer suas compras e, em muitos, você ainda pode optar por comprar o café da manhã a parte.

Não vale só reclamar de sujeira se não fizer a sua parte

O clima informal de casa de amigos, e aparentemente sem muitas regras, pode dar a impressão errada de falta de regras: hostel não é bagunça! A equipe do hostel fará de tudo para deixar os ambientes compartilhados sempre limpos e organizados, mas se você não colaborar a coisa fica difícil, acredite.

Se você espalhar todas as suas coisas no chão do quarto compartilhado, não tem como varrer e limpar, né?; não adianta reclamar do banheiro sujo se você sai do banho todo molhado emporcalhando tudo por onde passa; papel higiênico é no lixo, não vale jogar no vaso e, muito menos, no chão! Sujou, limpou! Combinado?

Podem parecer regrinhas básicas, mas muita gente esquece que também é responsável por manter o ambiente compartilhado em ordem. Assim como você não quer chegar e encontrar um lugar sujo, o próximo que vier depois de você também não vai gostar de ter que lidar com a sua sujeira. Já que você está em um ambiente com clima de casa de amigos, não faça algo que você não faria na casa de um amigo que te recebe para passar uns dias. Simples, né?

E aí, bora encarar um beliche na próxima viagem?

Por aqui a gente acredita de verdade que depois que você experimentar ficar em um hostel, nunca mais vai querer saber de hotel na sua vida. O mercado nacional de hostels está se fortalecendo e se profissionalizando mais a cada ano. Antes de reservar sua cama, pesquise muito, faça todas as perguntas necessárias e saiba ler e filtrar as avaliações de quem já passou por lá.

Uma outra dica muito importante é buscar um contato direto com os hostels pelas redes sociais. Além de aproveitar para ver fotos, vídeos e detalhes do local, você ainda pode conseguir descontos e vantagens reservando diretamente com eles.

Deixe seu comentário!

Deixe seu comentário!